EM CONSTRUÇÃO...

As gorduras mais saudáveis são as insaturadas (que estão no abacate, nozes, azeite, salmão, óleo de amendoim, etc...) e fazem elevar os HDLs (High Density Lipoproteins) que é o colesterol "bom".  


As gorduras menos saudáveis são as saturadas (que estão no queijo, carnes vermelhas, natas, leite gordo, etc...) e aumentam os LDL (Low Density Lipoproteins) que corresponde ao colesterol "mau". Este último colesterol, em elevadas quantidades, potencia o desenvolvimento de doenças cardiovasculares (como um infarte por exemplo).


Também existe um outro de gorduras "trans" que não iremos abordar para não complicar, mas em poucas palavras, acabam por ser piores do que as gorduras saturadas. Até porque, este tipo de gordura, foi fabricado pela indústria alimentar.


Porquê?

O colesterol "mau" são moléculas de gordura  de baixa densidade que se entranham na parede dos vasos sanguíneos . Ao longo do tempo dá-se uma acumulação de gordura dentro da parede do vaso sanguíneo (chamado de ateroma), tornando-o mais espesso, diminuindo a espaço para passar o sangue. Assim, aumenta a pressão de sangue a passar nessa região (tal e qual como uma mangueira da rega. Quando metemos o dedo na extremidade da mangueira diminuimos o volume de água e aumentamos a pressão, por isso é que a água saí com mais força).

Em casos mais extremos a parede do vaso torna-se tão espessa que seja mesmo a entupir o fluxo sanguíneo e provocar por exemplo um infarte.


Conclusão

Tanto o colesterol "bom" e "mau" são necessários (tal como as gorduras saudáveis e as não saudáveis) para nos mantermos saudáveis. Só que devesse ter cuidado quando se verifica um grande desiquilibrio entre os seus níveis.

Regra base: Consumir mais gordura insaturada do que saturada.

Quanto às gorduras trans, não fazem bem de nenhuma forma equilibrada.