EM CONSTRUÇÃO...

Treino negativo, como o nome diz, é feito por repetições negativas. De uma maneira sintética, o ponto central não está no impulsionamento do peso para cima, mas sim no controle do peso para baixo. 

Para este tipo de treino será necessário a presença de um parceiro. O impulsionar do peso para cima, é feito com a ajuda do parceiro, deixando o atleta controlar a descida do peso. O segredo está na velocidade da descida (devagar) e no peso (grande carga).


Este tipo de treino é feita com poucas repetições (à volta das 7 repetições) e com bastante carga. Um treino destes deve ser feito esporadicamente, nomeadamente para zonas musculares que demorem mais a crescer,


Na realidade, ao fazer este treino, está-se a enganar o corpo, pensando que está a trabalhar com mais peso quando na realidade não está. Nós temos mais força na fase negativa (na descida do peso) do que na fase positiva (na subida do peso), por ser um sistema básico de defesa elaborado pelo nosso corpo. Daí, os atletas aproveitarem este tipo de mecanismos para obter maior crescimento nas fibras musculares.


Conclusão

O treino terá mais eficácia e será mais saudável, se for feito de uma integrada no seu treino e não de maneira isolada. O treino negativo, torna-se perigoso, se for feito feito consecutivamente como treino isolado. Isto, porque estamos sempre a por em risco o limite do nosso corpo.